quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Receção 5.º ano 2106/2017

Como é habitual,  no início do ano letivo tem lugar a receção aos alunos do 5.º.
A biblioteca é um dos espaços inserido no percurso de reconhecimento dos diferentes espaços da escola. Para eles, em parceria com o Departamento de Português, reservámos um pequeno jogo de palavras sobre sentimentos, que apelava à criatividade e atenção dos participantes.
Como comprovam as imagens, a atividade decorreu com entusiasmo.



quinta-feira, 21 de julho de 2016

Recordar


E como recordar é viver, aqui ficam dois links para que possam ver (ou rever) os filmes do Nabo Gigante e da Ovelhinha Preta, produto das atividades apresentadas pela BE aos JI e turmas do 1.º ciclo do AVEP, no decorrer do ano letivo de 2015-2016.


https://www.youtube.com/watch?v=q3uh_ID9Pj4&feature=youtu.be

https://www.youtube.com/watch?v=xB_hRoMA6MM&feature=youtu.be


Execução do Plano de Atividades/Melhoria 2015-2016


Para tomarem conhecimento das atividades desenvolvidas pela BE-AVEP no ano letivo de 2015-2016
cliquem no link abaixo:
https://www.youtube.com/watch?v=CdYvGKgpCcA


terça-feira, 14 de junho de 2016

Entrega de Diplomas: Desafios e Top Leitores

     Ao longo do ano foram muitos os alunos que participaram nos concursos  Assim... Falamos Bem Português e Top Leitores. 
     Para recompensar os participantes,  foram entregues diplomas e prémios aos vencedores mensais e finais.
     Esperamos que no próximo ano letivo continuem a participar animadamente.


Aprender com a Biblioteca Escolar

     Na última semana de aulas, concluíram-se as apresentações orais interturmas que foram tendo lugar  ao longo do ano, no âmbito do projeto "Aprender com a Biblioteca Escolar - Ler é Crescer".
     O João e a Bruna, do 6.º H , dois dos alunos mais empenhados no projeto, apresentaram, mais uma vez, dois dos  vários livros que leram, desta feita ao 5.º C. Foi mais uma agradável experiência de conversa à volta dos livros.
     Destacamos o papel fundamental da professora Isabel Alves Silva nesta interação com a Biblioteca Escolar, no que diz respeito à motivação dos seus alunos. 


Música na Biblioteca

Na passada terça-feira, houve música na Biblioteca: o professor Joel Gomes, acompanhado pelas alunas Lara Moreira, do 6.º D e Fernanda Carneiro, do 6.º F, presentearam-nos com três peças musicais tocadas na flauta de bisel.
Os nossos agradecimentos e parabéns pela simpatia  e excelente execução.



sexta-feira, 6 de maio de 2016

    No dia três de maio recebemos na nossa escola a escritora Adelina Rosa, mais conhecida por Aline.
     Residente em Gondomar, distrito do Porto, Adelina Rosa decidiu fazer da sua aposentação um tempo de enriquecimento pessoal. Ao trabalho de voluntariado na maternidade Júlio Dinis, no Porto, juntou uma paixão dos tempos de menina: escrever.
     Passou a recriar contos e histórias infantis que povoam o imaginário de todas as crianças; histórias intemporais mas, agora, contadas em verso.
     Em 2012 surge o seu primeiro livro da coleção Contos Mágicos Recriados em Verso: A Bela e o Monstro e outros contos mágicos. Segue-se A Casinha de Chocolate e outros contos mágicos, em 2013 e, em 2015, O principezinho e outras histórias de Princesas.
     Participou no projetos Lugares e Palavras do Porto, e Palavras e Lugares de Natal, III”, sob a coordenação de João Carlos Brito, com textos de sua autoria.
     Todos os seus trabalhos contam com ilustrações de Aurélio Mesquita e foram editados pela editora Lugar da Palavra.
     O encontro com os alunos do 5.º ano de escolaridade decorreu de forma animada e muito participada.
     A nossa Biblioteca foi, mais uma vez, palco de um belo momento de partilha e promoção da leitura. 






                                                   





Testemunhos da escritora Aline

«Não devemos criticar os outros pela diferença.»
«A minha motivação para escrever deve-se ao meu tempo livre, ao gosto pela escrita e à minha neta que me incentivou.»
«Devemos levar a amizade a sério.»
«Neste momento não trocaria a minha profissão por outra, pois estou entusiasmada com projetos futuros.»
«Escrevo desde sempre, mas só comecei a editar em 2012.»
«Gostei de todos os meus contos, mas o primeiro foi especial.»
«Gosto muito de escrever contos infantis, porque gosto muito de crianças.»
«Em pequena nunca pensei em ser escritora.»
«Fiquei espantada quando me perguntaram se queria editar o meu livro.»
«Não devemos desistir dos nossos sonhos.»
«Voluntariei-me numa maternidade logo adoro crianças.»
«Aprendo com o meu público.»
«O público mais importante para mim são as crianças. Conto com a opinião delas.»
«O meu gosto pela escrita deve-se ao facto de gostar de crianças.»

Trabalho realizado pelos alunos do 5.ºL
Professora: Teresa Martelo


-“A amizade não tem cor!”
-“ Devemos fazer novos amigos.”
-“Não ter pressa de crescer.”
 -“Gosta de estar em contacto com as crianças.”
-“ Sempre gostou de escrever, mas o sonho de ser escritora foi recente. ”
-“O seu público são as crianças.”
-“Escreve há muitos anos, mas só edita há quatro anos.”
-“Ser escritora é comunicar e passar a mensagem para o papel.”
-“Gosta muito de ser escritora.”
-“Sentiu-se muito feliz quando editou o primeiro livro.”
-“Foi o nascimento da neta que a inspirou a escrever.”
-“Sempre que termina de escrever um livro fica muito satisfeita.”
-“Não trocaria a minha profissão de escritora por outra.”
-“A minha vida é feliz com a escrita e com a leitura.”
-“Quis influenciar os alunos mais novos a gostar de poesia.”
-“A escritora Aline emocionava-se quando respondia às nossas questões.”
-“Adora escrever desde pequena.”
-“Somos todos iguais, mas diferentes.”

Trabalho realizado pelos alunos do 5.ºJ
Professora: Teresa Martelo

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Porque não podemos deixar esquecer os valores que o 25 de ABRIL de 74 defendeu!

sábado, 23 de abril de 2016

dia do livro 2016 by Biblioteca AVEP

Dia Mundial do Livro

Para lembrar o Dia Mundial do Livro, a BE associou-se à disciplina de Espanhol e, no quarto centenário do aniversário da morte daquele que é considerado o maior escritor do país vizinho, Miguel de Cervantes, organizou-se uma pequena exposição sobre aquele que dizia :
“ Quando se sonha sozinho, é apenas um sonho. Quando sonhamos juntos, é o começo da realidade.”




Día del Libro - IV Centenario de la muerte de Miguel Cervantes

23 de abril 2016
Día del Líbro
IV Centenario de la muerte de Miguel de Cervantes

En 2016 se cumplen 400 años de la muerte del célebre Miguel de Cervantes, mundialmente conocido por haber escrito 'Don Quijote de la Mancha'.

Miguel de Cervantes Saavedra
(Alcalá de Henares, España, 1547 - Madrid, 1616) Escritor español, autor de Don Quijote de la Mancha (1605 y 1615), obra cumbre de la literatura universal. La inmensa fama de este libro inmortal, que parte de la parodia del género caballeresco para trazar un maravilloso retrato de los ideales y prosaísmos que cohabitan en el espíritu humano, ha hecho olvidar la existencia siempre precaria y azarosa del autor, al que ni siquiera sacó de la estrechez el fulgurante éxito del Quijote, compuesto en los últimos años de su vida.
Cuarto hijo de un modesto médico, Rodrigo de Cervantes, y de Leonor de Cortinas, vivió una infancia marcada por los acuciantes problemas económicos de su familia, que en 1551 se trasladó a Valladolid, a la sazón sede de la corte, en busca de mejor fortuna. Allí inició el joven Miguel sus estudios, probablemente en un colegio de jesuitas.
Cuando en 1561 la corte regresó a Madrid, la familia Cervantes hizo lo propio, siempre a la espera de un cargo lucrativo. La inestabilidad familiar y los vaivenes azarosos de su padre (que en Valladolid fue encarcelado por deudas) determinaron que su formación intelectual, aunque extensa, fuera más bien improvisada. Aun así, parece probable que frecuentara las universidades de Alcalá de Henares y Salamanca, puesto que en sus textos aparecen copiosas descripciones de la picaresca estudiantil de la época.
En 1569 salió de España, probablemente a causa de algún problema con la justicia, y se instaló en Roma, donde ingresó en la milicia, en la compañía de don Diego de Urbina, con la que participó en la batalla de Lepanto (1571). En este combate naval contra los turcos fue herido de un arcabuzazo en la mano izquierda, que le quedó anquilosada.
Cuando regresaba de vuelta a España tras varios años de vida de guarnición en Cerdeña, Lombardía, Nápoles y Sicilia (donde había adquirido un gran conocimiento de la literatura italiana), la nave en que viajaba fue abordada por piratas turcos (1575), que lo apresaron y vendieron como esclavo, junto a su hermano Rodrigo, en Argel. Allí permaneció hasta que, en 1580, un emisario de su familia logró pagar el rescate exigido por sus captores.
Ya en España, tras once años de ausencia, encontró a su familia en una situación aún más penosa, por lo que se dedicó a realizar encargos para la corte durante unos años. En 1584 casó con Catalina Salazar de Palacios, y al año siguiente se publicó su novela pastoril La Galatea. En 1587 aceptó un puesto de comisario real de abastos que, si bien le acarreó más de un problema con los campesinos, le permitió entrar en contacto con el abigarrado y pintoresco mundo del campo que tan bien reflejaría en su obra maestra, el Quijote.
Las citas más célebres de Don Quijote de la Mancha
·         El que lee mucho y anda mucho, ve mucho y sabe mucho.
·         El amor junta los cetros con los cayados; la grandeza con la bajeza; hace posible lo imposible; iguala diferentes estados y viene a ser poderoso como la muerte.
·         La falsedad tiene alas y vuela, y la verdad la sigue arrastrándose, de modo que cuando las gentes se dan cuenta del engaño ya es demasiado tarde.
·         Un buen arrepentimiento es la mejor medicina que tienen las enfermedades del alma.
·         El año que es abundante de poesía, suele serlo de hambre.
·         El que no sabe gozar de La ventura cuando le viene, no se debe quejar sí se pasa.
·         Parece, Sancho, que no hay refrán que no sea verdadero, porque todos son sentencias sacadas de la misma experiencia, madre de las ciencias todas.


sábado, 9 de abril de 2016

Aconteceu na BE…

Desde o início do ano letivo, foram diversas as ações desenvolvidas pela BE, um local de aprendizagem e de partilha de saberes, visando promover a leitura como fator de desenvolvimento individual e social, bem como dinamizar práticas pedagógicas e outras atividades que estimulem o prazer de ler.
Salientamos:

Ø As comemorações do Mês das Bibliotecas Escolares, em outubro, quando A  leitura saiu à rua, levada por alguns alunos do quarto ano dos Centros Escolares de Paredes e Bitarães, até junto dos idosos dos Centros de Dia de Beire e Bitarães e do Lar da Santa Casa da Misericórdia de Paredes. Acompanhados pelo trompetista Paulo Pacheco, aluno do 6.º grau do Conservatório de Música de Paredes, contaram a história do JB e ouviu-se “Avé Maria”, de Schubert.  Foi uma experiência enriquecedora em que jovens e menos jovens partilharam sorrisos e ternura, guiados pela leitura e pela música.

Ø  Ainda em outubro, falámos de alimentação e os alunos do 2.º ano do agrupamento puderam assistir à apresentação da obra “ O nabo gigante”. Com a construção de cenários “interativos” lembrou-se a importância da solidariedade e entreajuda. Foi uma forma diferente de “ler” uma história e trabalhar a literacia da leitura.


Ø  Em novembro/dezembro, a chamada de atenção foi para a diferença. Mostrando que “é super ser diferente”, a Ovelhinha Preta entrou em cena e visitou os alunos dos JI e do 1.º ano do agrupamento e ainda os alunos da UEAM. A dramatização do conto chamou à atenção para o facto de sermos únicos, dentro das nossas igualdades e diferenças.


Ø  No segundo período foi tempo de a Gata Gatilde lembrar aos mais pequenos que as birras afastam os amigos. Devemos tratá-los com muito respeito e carinho. Mais um momento animado de leitura e partilha. 


Ø  Chegou a vez do Luís Novo nos trazer a sua “Gata Branca” e nos pedir que nos apaixonemos pela leitura. Foi nos centros escolares de Bitarães e Mouriz, para todas as turmas e JI, mesmo os não agrupados. Em abril voltará, para encantar os alunos do Centro Escolar de Paredes.

















Ø  Eis a Semana da Leitura sob o tema “Elos de Leitura”, com partilhas entre pais e filhosleituras em diferentes línguas e o tão apreciado Concurso de Leitura, envolvendo os três ciclos de escolaridade. Momentos de pura delícia, de belas leituras, intercalados com o trinar das guitarras dos alunos do ensino articulado de música, numa parceria com o Conservatório de Música de Paredes.


E até ao final do ano haverá mais coisas para contar e outras tantas para dizer. Até já!

A Equipa da BE